quinta-feira, 16 de junho de 2016

Resenha de "Demons: Filhos das Trevas" Extraída da Publicação "SET Especial: 1000 Vídeos".



Pessoas recebem convites para uma sessão noturna especial de cinema (filme de terror, claro). Os gritos da projeção revelam-se assustadoramente reais (arrancando elogios ao sistema Dolby), no entanto: as portas se trancam (como em uma armadilha). O público é atacado por demônios, as vitimas contaminadas se transformam em mais demônios, culminando numa grande chacina. O filme é a soma de meia dúzia de clichês e feito com pouquíssimos recursos. A trama (obviamente B), ainda conta com efeitos especiais baratos e maquiagem de gosto duvidoso. Contudo, como diversão maldita, não há nada mais endemoniado, e de humor tão perverso.

Resenha de "O Exorcista" Extraída da Publicação SET Especial: 1000 Vídeos.



O filme foi baseado num Best-seller de William Peter Blatty, que por sua vez se baseava numa história verídica. O fato das imagens terem supostamente algo de real, lhe deu ainda mais publicidade, além do maior filme de horror da história. O corpo de uma garota de doze anos, Regan (Linda Blair), é possuído pelo demônio. Como os médicos não conseguem encontrar nenhuma explicação para a crescente mudança de comportamento por parte da menina, sua mãe (Ellen Burstyn) procura um padre, só que se trata de um padre moderno, chamado Karras (Jason Miller), um padre quê acredita que exorcismo é coisa do passado. O demônio o engana praticamente em seus testes preliminares, e é apenas com a chegada de um velho exorcista (Max von Sydow) que ele mostra toda sua perversidade. As cenas de possessão de Regan são antológicas: tudo começa com um inocente xixi na frente de alguns convidados de sua mãe, seguem-se vômitos, levitações e giros completos de cabeça (barra pesada, família). O clímax da aflição fica por conta em que ela se masturba com uma cruz até sangrar, acredite: Linda Blair virou Sex symbol por causa disso.